O prazer de ter redescoberto Letizia



Apaixonei-me por Florença aos 17 anos, durante uma viagem de carro a Itália com a família. Tendo a sorte de desde então já ter viajado muito pelo mundo, continua a ser a minha cidade talismã. Foi lá que voltei numa inédita viagem solitária, com o meu primeiro subsídio de férias. Um presente que ofereci a mim próprio: voltar a ver o Duomo e passear nas margens do Arno.

Foi por isso sem surpresa que escolhi Florença para o cenário do primeiro romance que me aventurei a escrever. Surpresa acabou por ser receber um telefonema 15 anos depois com o anúncio de que Letizia ia ser publicado. 

Um amigo, Nuno Ferrão, com quem escrevi aquele que foi, para ambos, o primeiro romance publicado, Estórias Limbidinosas, decidiu ir ao baú recuperar Letizia e enviá-lo a uma editora, com o meu consentimento pouco entusiasta. A verdade é que a ele, e ao entusiasmo da Coolbooks, devo o prazer de ter redescoberto Letizia e de convosco poder partilhar a minha paixão por Florença e a atração pelo mistério e romance. 


André Curvelo Campos é o autor de Letizia.
06.03.2018